O dia em que apaguei nossas mensagens

Hoje apaguei nossas mensagens e só então me dei conta de que mais uma vez estou seguindo em frente sozinha. Eu não te escolhi, só permiti. Eu precisava de férias e você apareceu com um sorriso de quem só explica as coisas no caminho. Eu queria uma Paulaner, afinal era a primeira sexta-feira de dezembro e um papo furado não faria mal a ninguém.  Continuar lendo “O dia em que apaguei nossas mensagens”

Te quero!

Te quero de um jeito que já nem é mais segredo. Num modo repeat que se arrasta do banho à reunião. Te quero de um jeito que só eu penso em querer. No café, na mordida, na palavra, no conselho, no cheiro e na voz. É um querer sem pretensão e até sem previsão. Só quero agora e até daqui a pouco. Um romance sem roteiro para depois começar de novo. Continuar lendo “Te quero!”